terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Gata Safada e vadia transando com casal

Olá, pode me chamar de Lucie. Tenho 28 anos e não sou bem um mulherão, na verdade, estou mais pra menininha (apesar da minha idade, muitos pensam q não tenho mais que 22), tenho 1,62, 50 Kg, bumbum farto, seios médios, sou tipo indiazinha, só que com o cabelo levemente ondulado.
Terminada as apresentações, vamos ao q interessa...
Sou nascida e criada em uma pequena cidade do interior de Minas, e como toda garota interiorana, sempre fui um tanto tímida (ou contida, se prefere assim). Até ir pra faculdade, não tinha tido nada além de uns namoricos sem importancia e, pasmem, ainda era virgem!!!!
Saí da minha cidade para estudar no Rio de Janeiro (UFRJ), e fui morar no apartamento da filha de uma amiga da minha mãe, que tbm foi ao Rio para estudar e acabou se casando e ficando por lá mesmo. Eu tinha apenas 18, na época, e ela já tinha 32. Por sermos de gerações diferentes, não tivemos muito contato antes da minha mudança, mas já no aeroporto, qdo eles (ela e o marido) foram me buscar, senti q íamos nos dar muito bem!!!
Ela (Mel) é linda!!! Morena clara, lindos e longos cabelos castanho-escuro, tem 1,75, corpo super bem feito (eles não têm filhos), seios enormes, lindos, e um bumbum daquele geito que só as mineirinhas têm... (rs). Ele (Miguel) é um típico carioca: bronzeado, alto (mais de 1,82, sem duvida), malhado (mas não bombado) e um absurdo olho verde que parece o mar do Arpoador!!!!
Claro que quando os vi pela primeira vez eu pouco reparei nessas características. Eu só pensava na vida nova que me esperava e em como me sairía sem o cordão umbilical, rs, mas eles tudo fizeram pra me deixar super à vontade (tudo mesmo, rs)
Nos primeiros meses, a adaptação foi tranquila, graça a forma como eles me tratavam: nunca me senti uma intrusa na casa deles. Eles me apresentaram tudo no Rio, eu estava encantada, mas confesso que, a essa época, o que mais me encantava era acordar de madrugada com o gemido deles... era delicioso ouvi-los... e eu, que até então era virgem e, sempre ocupada com os estudos, não tivera tempo pra pensar em sexo, depois de começar a ouvi-los, não pensava em outra coisa... já chegava ao cúmulo de não conseguir dormir antes deles trasarem, e me masturbava deliciosamente imaginando o q eles faziam no outro quarto, rs.
No início, quando eu os via pela manha, eu me sentia envergonhada de usar o momento de comunhão conjugal deles para meu bel prazer, mas com o tempo, perdi a vergonha, rs, e tbm, ao ter mais intimidade com a Mel, comecei a falar com ela sobre minha (in)experiencia, q o máximo q já tinha acontecido era ser chupada por um namorado, e q depois disso, nunca mais tive coragem de olhar pra ele, kkkk Ela adorava minha histórias, e isso nos dava uma intimidade gostosa, q eu não entendia bem, mas adorava!!! Logo, ela começou a falar sobre ela e o Miguel... sobre as coisas que haviam feito juntos... sobre como eles adoravam coisas inusitadas, como manage feminino e masculino, troca de casais, enfim... e eu tbm adorava essas histórias, e à noite, enquanto os ouvia transar, eu me imaginava participando de uma de suas aventuras, e gozava cada dia mais gostoso... Um belo dia, faltava apenas uma semana para o fim do semestre, e eu já me organizava pra voltar pra Minas e visitar meus pais, a Mel me disse que fariam um jantar de despedida para mim. Eu aleguei q só viajaria em uma semana, e ela argumentou, com ar de malícia, q a despedida seria loooooogaaaa... Eu não entendi o q ela queria dizer... mas adorei o brilho q vi nos olhos dela...
Nessa mesma noite, qdo voltei da facul, eles tinha preparado um jantar japones (adoro comida japonesa), com mesa baixa, luz de lanternas vermelhas e tudo. Tava muito lindo. Vesti o quimono q ela me deu, e nos divertimos, como sempre, comendo e bebendo... durante o jantar notei q tanto a Mel como seu marido não perdiam uma ocasião de me tocar e que eles se beijavam e acariciavam como nunca tinham feito em minha frente... e eu, que era inexperiente, mas de burra não tinha nada, comecei a entender a intenção deles... e comecei a curtir a idéia de, finalmente, ter minha primeira vez, e em como seria maravilhoso se fosse com eles, q eu gostava tanto e q poderiam me ensinar muitas coisar... então, comecei a retribuir aos toques... eles perceberam minha entrega e passaram logo de lever toques nos braços e pernas para carinhos mais prolongados e profundos... até hoje, quando lembro do Miguel acariciando a parte interna da minha coxa, sinto esse pedaço de pele arder... então, a Mel me beijou!!!!! Eu nunca tinha beijado uma mulher antes, e, pra ser sincera, nem tinha pensado nisso... mas que beijo... que suave... que profundo... que intenso... eu não teria deixado de beijá-la nunca mais se não fosse o Miguel ter entrado no beijo... caraca, como aquilo estava gostoso... eu sentia minha calcinha molhada... e logo eles sentiram tbm, pq os dois, juntos, como se tivessem combinado, levaram a mão à minha calcinha... ele ergueu a lateral e ela começou a acariciar minha boceta... enquanto ela, com a mão livre, tirou meu quimono (eu, como disse, não estava com idéias na cabeça qdo me vesti, então estava apenas com um conjuntinho de algodão florido, muito bonito, mas muito inocente... fiquei até envergonhada, qdo vi q a Mel estava de corpete com meia e cinta liga... mas eles disseram q eu estava super sexy, e eu acreditei, rs), então, ele tirou meu sutiã e os dois chupavam meus seios... eu já estava em transe, de tanto tesão, quando disse a eles q não tinha idéia do que eu deveria fazer, e que eles deveriam me guiar... eles adoraram, e disseram q teriam, literalmente, prazer em me guiar... então ela começou a me dizer o que fazer: -Eu vou chupar você, você preste atenção, porque depois você vai me chupar exatamente como eu te chupar, ok?
O que mais eu poderia fazer além de concordar? Eu anciava por ter aquela boca no meu grelhinho... E que boca, ela lambeu delicadamente meus lábios, sugou o líquido da minha vagina e foi pro meu grelho... e chupou... e lambeu... e mordiscou... e eu, tentando prestar atençao, pq não queria decepcioná-la qdo tivesse sua boceta na minha boca... mas era impossível se concentrar com ela chupando tão gostoso e com ele quase engolindo meus seios... eu me sentia uma presa nas mãos de dois predadores famintos, e essa idéia me deixava ainda mais excitada... então eu gozei... gozei como nenhuma masturbação foi capaz de me fazer gozar... foi delicioso... ela nem esperou eu relaxar e já me disse: -agora eu vou te ensinar a chupar uma rola!
Dito isto, ele se sentou e ela ficou de quatro entre as pernas dele... só aí eu fui reparar no pau dele: tem, mais ou menos uns 19 cm, e é super grosso!!!! Fiquei até com medo de ter aquele pau me arrombando... rs, mas, voltando ao assunto> ela se posicionou entre as pernas dele e me dava instruções, enquanto mo mostrava como fazer...
-Primeiro: cuidado com os dentes! Nunca force os dentes!!! Quando vc estiver mais experiente, eu te mostro uma forma de brincar com os dentes sem machucar, mas, por enquanto, deixe os dentes fora dessa!!! Você não deve cuspir no pau. Para umedece-lo e facilitar q ele deslize pra sua boca, passe a lingua ao redor dele assim (aí, ele lambeu toda a extensão do pau dele, como se faz com um picolé qdo ele tá derretendo... e parecia tãããããooo gostoso fazer aquilooo, eu mal via a hora de tentar...). Depois, vá colocando ele na boca, devagar, deixando q ele deslize, enquanto vc faz movimentos com a língua, como se tivesse chupando um pitulito, assim (e foi colocando aquele pau enorme na boca, até q engoliu ele todo!!! eu não tinha idéia de como aquele pau enorme coube todinho na boquinha dela...). Agora, é só brincar, curtir, se divertir... mas, vc deve fazer tudo com a boca! Nada de colocar só a cabecinha na boca e ficar punhetando. E quando ele gozar, vc deve engolir tudo, ok? Pronto, agora é a sua vez...
E eu fui!!!
Caí, literalmente, de boca!!!
Que delícia foi ter aquela rola gostosa na minha boca... chupei tudo, tava adorando sentir o pau na minha garganta... e, quando ele disse q ia gozar, eu levei o pau o mais fundo que pude na minha garganta, e senti ele pulsando toda a sua porra direto pro estomago!!!! Aliás, essa virou uma das minhas especialidades: Adoro sentir um pau pulsando na minha garganta enquanto o cara goza...
Depois dele gozar na minha boca, a Mel anunciou que faríamos um 69, pra eu colocar em prática o q ela me ensinou enquanto me chupava. Eu nunca imaginei que fosse tão gostoso chupar e ser chupada por uma garota ao mesmo tempo... gozei rapidão... mas descobri q todo esse prazer era nada perto do que estava por vir!
Enquanto eu estava quase gozando de novo, senti o Miguel passar o pau dele na minha bunda e tremi diante de possibilidade de ser deflorada... a Mel nem se mecheu, e continuou me sugando... e eu resolvi fazer o mesmo que ela, e só curtir o momento... então, senti a cabeçona na entrada da minha boceta molhadinha... senti qdo ele começou a forçar de leve... senti qdo a boquinha da minha boceta cedeu... senti ele passar pelo meu canal vaginal... senti uma certa resistencia no meu hímem... senti quande ele deu uma estocada mais forte, vencendo essa última resistencia... senti uma leve dor, logo substituída por um prazer inenarrável!!!! Não há como descrever a senssação de um pauzão na bocetinha e uma boca gostosa no grelho... eu simplesmente saí de mim... gozei várias vezes, enquanto ele me estocava cada vez mais forte e mais rápido, e ela sugava meu grelhinho insassiavelmente... e, quanto mais forte e rápido ele me estocava, mais forte e ávidas nós nos chupávamos, até q ele tirou o pau, pediu pra eu me virar, e esporrou em nós duas... lambuzou nossa cara... então, deitamos e apagamos... só acordamos no dia seguinte, qdo ela me disse pra descançar, pq nessa noite tinha convidado um amigo que ia me ensinar outras coisas.

Marcadores: , , , , , ,

Swing Menage, Troca de Casais, Clubes de Swing

Bom, depois de nossa aventura, voltamos pra casa e a vida continuou normal, ficamos umas duas semanas sem falarmos nada do que aconteceu, até que um dia, num sábado a tarde, no meio de uma transa, Carla me olha e diz:
- Você gostou daquele dia na casa de swing né?
- Claro, respondi, foi muito boa a experiência.
- Ah... e do que mais gostou?
Eu não sei do que mais gostei, gostei de ver casais transando, gostei de ver as pessoas olhando para nós enquanto transamos, mas o que mais me deu tesão foi ver Carla chupando o pau daquele coroa, porem não sei se foi o que mais gostei. Ao mesmo tempo que fico com muito tesão só de pensar, meu estomago ainda se embrulha de ciúmes. Então respondi:
- Foi transarmos enquanto pessoas nos olhavam.
E Carla muito sacana, por cima de mim, cavalgando no meu pau, me olha bem nos olhos, chega perto e diz:
- Acho que o que você mais gostou foi me ver chupar o pau daquele cara.
Confesso que ouvi-la dizer isso me deu uma certa tremedeira, porem só de ouvi-la gozei.
- Tá vendo. (disse Carla)
- Você não consegue segurar de tanto tesão só de me ver falar disso.
- Confessa, o que você mais gostou foi ver sua esposa chupando outro cara.
Fiquei sem graça, mas respondi:
- É, você foi uma grande vagabunda.
- Mas você gostou né? Fala que você gostou...
Eu ja estava com o pau duro novamente e entrei no clima.
- Gostei, gostei de ver minha esposa sendo uma cadela, gostei de ve-la chupando outro pau enquanto sentava na minha pica. E você, do que gostou?
- Gostei de tudo, dos homens me desejando, adorei o pau daquele cara, queria chupar todos os homens que estavam ali, queria que gozassem em minha cara. Quero transar com outro homem.
- QUERO IR NOVAMENTE.
Nisso ela gozou loucamente, e eu não tive como segurar, gozei junto.
Tomamos banho, trocamos de roupa e rumamos para Belo Horizonte novamente. Em algumas horas estávamos na porta do Freedom.
Quando estacionei comecei a ter um sentimento muito forte, meu corpo gelou, minhas pernas ficaram bambas, e meu peito disparou, desci do carro, peguei Carla, e quando entramos no recinto, comecei a ter um certo refluxo, enjoo, mas estava muito excitado, notei que Carla também estava muito nervosa, com um vestido justo branco, um pouco acima dos joelhos, costas abertas, salto alto e um pequeno decote, ela é sempre muito discreta, mas desta vez percebi que ela colocou uma calcinha muito pequena, mas que marcava bastante.
Quando entramos percebi um clima muito forte, o cheiro de sexo exalando, e vi que Carla chamou a atenção de todos, a luz de neon ajudou muito a apresentar seu corpo.
Paramos juntos, olhamos para todos, veio o garçom e nos levou até uma mesa, nos perguntou se estávamos sós, ou se esperávamos por alguém. Antes que eu tentasse falar alguma coisa Carla se adiantou:
- Estamos sós, porem queremos uma mesa para quatro pessoas.
Nesta hora fiquei com um pouco de medo, tive vontade de sair dali, mas vi que não conseguiria, tive medo de perder Carla, de que ela encontrasse alguém melhor que eu, ou dela viciar nisso e não ter mais volta.
Nesta hora, quando chegamos na mesa, Carla sensitiva que é me olha, da-me um beijo e diz:
- Você é único, é o amor da minha vida, isso aqui é apenas sexo, é para apimentarmos nosso relacionamento, é para vermos o quanto nos amamos e o quanto confiamos um no outro. Te amo muito.
Acho que aquilo me aliviou, mas na verdade foi um momento de transição.
Após isso, sentamos, pedimos whisky pra mim e Carla drink de vodka e duas tequilas, sentamos, bebemos e comecamos a curtir a noite.
Rapidamente começou uma apresentação de streeper, no final ja haviam dois casais transando na mesa ao lado, e um gang bang leve com três homens e uma mulher na mesa mais a frente, as duas esposas que sobraram curtiam uma a outra.
Carla ja estava alta, eu também, ja havia tomado três doses, quando começamos a nos beijar, o clima esquentou e logo se aproximou um casal, sutilmente pediu licença e perguntou se poderiam sentar, Carla olhou pra eles, analisou-os...
Era um casal até que bonito, o cara deveria ter seus trinta anos, novo, e a mulher maravilhosa, mas Carla disse que o lugar estava reservado.
Perguntei pra ela:
- Ué? Tem alguém para chegar?
- Não, só não gostei deste casal, o cara é estranho, não me passa confiança e acho que a garota é profissional. Alem de que não quero um casal, queremos outro homem.
Aquilo me incomodou, quer dizer que só ela podia?
Mas quando fui falar com ela, ela se levantou e pediu para eu ir dançar com ela.
Fomos para a pista de dança, Carla muito excitada, ja bem alterada pelo álcool, começou a se esfregar em mim, e a olhar um cara que estava próximo a entrada, sozinho, bebendo, observando.
Então ela me pediu para ir ao banheiro, virou-se e foi em direção ao cara, passou por ele enquanto fui me sentar.
Pedi outra bebida e olhando para a porta avistei Carla, saindo do banheiro, passando ao lado do cara e falando com ele, os dois se deram as mãos e foram dançar, Carla se esfregava muito, o cara começou a gostar, a passar aos mãos nela, e ela olhando pra mim, com uma cara de sem vergonha muito grande. Eu não sei descrever o que senti, mas não demorou muito e Carla ja estava com nosso amigo em nossa mesa, olhou pra mim, me deu um beijo e sentou-se com ele na minha frente.
O amigo (o chamarei assim pois não fiquei sabendo seu nome) era um rapaz mais velho, próximo de uns 50 anos, um pouco barrigudo, nada de que uma mulher gostasse, não sei pq Carla o escolheu, mas estava gostando.
Nosso amigo desamarrou o vestido dela atraz do pescoço, descendo assim e mostrando seus seios, se inclinou e começou a chupa-los, e Carla olhando pra mim com caras e bocas.
Eu estava bêbado, maluco, com muitos sentimentos estranhos, mas com MUITO tesão, tirei meu pau pra fora e comecei a masturbar-me.
Carla vendo isso, sorriu e se abaixou, abriu o zíper do amigo e abaixou suas calças, começou a punheta-lo, e logo estava lambendo tudo, punhetando e chupando como louca, como uma potranca amamentando deliciosamente, eu observando cheguei ao primeiro orgasmo.
Carla chupou por uns 10 minutos, enquanto nosso amigo tirou sua camisa, deu pra ver sua grande barriga, mas tinha um pau grande e muito grosso também.
Carla levanta, vira se pra mim por cima da mesa e vem me dar um beijo, oferecendo assim seu maravilhoso rabo pro amigo. O cara rapidamente entendeu, arrancou-lhe a calcinha e começou a lambe-la.
Carla ao sentir sua linha deu um grande gemido, e começou a se contorcer, confesso que jamais vi minha mulher assim, e estava agora adorando tudo.
Carla chegou para o lado e ajoelhou por cima do banco na lateral da mesa, puxou meu pau para si e começou a chupa-lo, o cara tirou seu pau para fora e colocou uma das camisinhas que estavam em cima da mesa.
Logo começou a fode-la de quatro. Carla parou o boquete, olhou para mim e disse:
- Esta gostando meu amor? Gosta de ver sua putinha sendo arrombada por esse velho? Gosta de ver sua esposinha dar pra outro homem?
Eu por instinto respondi:
- Estou adorando sua vagabunda, sua puta, piranha filha de outra puta.
Os xingamentos soaram como musica aos ouvidos de Carla, e ela começou a gemer mais e mais.
Saiu da posição, sentou nosso amigo ao meu lado, começou a cavalga-lo, eu subi no braço do banco e coloquei meu pau em sua boca, ficamos assim um bom tempo.
Carla virou se, e sentou de costas pro cara, ficou cavalgando um tempo, eu do lado olhando aquilo, até que ela levantou-se, bruptamente tirou a camisinha de nosso amigo, começou um boquete muito forte e a socar punheta, rapidamente nosso amigo estava esporrando no peito todo de Carla. Após nosso amigo gozar, Carla levantou-se, agradeceu nosso amigo e virou-se para mim, dando o recado para que ele fosse embora, pegou um papel na mesa, limpou a porra do cara de seus peitos, ajoelhou-se na minha frente e começou um delicioso boquete em mim. Nosso amigo se arrumou, vestiu-se, olhou para mim, acenou e saiu.
Eramos novamente só eu e Carla, ela me chupou, sentou em cima de meu pau, começou a cavalgar muito gostosamente.
Transamos um tempo assim, ela virou se de costas pra mim, eu comendo-a por tras e ela olhando para todos que nos viam, vi que ela estava provocando a todos, comecei a gemer, até que ela virou-se, agaixou-se, pegou meu pau e me fez gozar em sua boca, não deixando nenhuma gotinha pra fora.
Depois disso levantou-se, se recompôs, sentou ao meu lado e pediu um vinho.
Continuamos a curtir a noite, tomando vinho e vendo uma dança do ventre que acontecia no momento.

Marcadores: , , , ,

Transei com minha Professora gostosa loira e sexy

Tudo aconteceu ano passado, eu estava indo mal na escola na materia de matematica, entao minha mae resolveu contratar uma professora particular para reforçar meus estudos, essa minha professora se chamava juliana, bem mais velha do que eu tinha 49anos do jeito que eu mais gosto, ela era baixinha cerca de 1,52 de altura e meia gordinha, não era muito bonita de aparencia mais ela tinha alguma coisa que me seduzia.
na minha primeira aula ela foi com uma calça jeans bem apertada que me deixou louco, e uma blusinha bem apertada com um decote que destacava bem os seus belos seios, na primeira aula quando se conhecemos ela começou a me chamar de guisinho, poreém nao aconteceu nada dms, (quando ela foi embora eu corri pro banheiro pra bater uma punheta pensando na minha professorinha)
na segunda aula ela foi com um vestido meio longo, e com uma rasteirinha vermelha que destacava seus lindos pésinhos pintados com esmalte vermelho, desta vez resolvemos estudar no meu quarto, estavamos estudando normalmente até que ela perguntou se eu tinha um livro de matematica que eu nao lembro o nome, eu tinha o livro que estava guardado na minha gaveta, entao eu pedi pra juliana pegar o livro, ela abriu a gaveta e axou uma camisinha, ela olhou pra mim com uma cara de safado e me perguntou:
- guisinho, voce sabe o que é isso ?
eu respondi:
- é uma camisinha, porque ?
ela entao me respondeu:
- NAO NAAO, isso nao é uma camisinha, é um CONVITE!
eu na hora nao entendi direito, eu nao conseguia acreditar que minha professorinha estava me convidando para transar, entao demorei uns segundo e respondi:
- se esse convite for seu, eu aceito com muito prazer!
ela entao sorriu pra mim, fechou a janela do quarto e me beijou com tanto gosto que eu cheguei a delirar, e conforme nós se beijavamos eu subia seu vestido enquanto ela abaixava minhas bermudas, ela entao tirou meu pra fora e começou a chupar de uma forma que eu nunca senti igual! depois eu tirei seu vestido e começeei a mamar naqueles enormes seios, eu parecia um bezerro desmamado rsrs, e fui lambendo seu corpo até chegar na sua bela bucetinha, entao fui colocando 1dedo, 2dedos, 3dedos, e consegui colocar até 4dedos, ela ja estava toda molhadinha entao coloquei minha lingua beem devagar na sua chaninha e fiquei chupando aquela chana enquanto ela gemia e se contocia toda, entao ela disse:
- agora coloca esse seu cacete, eu quero ele todo dentro de mim mesmo que nao caiba!
eu como um bom escravo sexual atendi suas ordens rsrs, coloquei a camisinha e fui colocando meu pau bem devagar e ela começou a gemer bem baixinho, entao fui aumentando o ritimo e ela foi aumentando o gemido e começou a se contorcer toda até que percebi que ela ja estava começando a gozar,
logo depois ela me pediu para deixar ela subir emcima de mim, entao ela começou a cavalgar em mim, e rebolava de uma forma INACREDITAVEL, até que eu gozei !
depois ficamos um tempinho deitados conversando e se acariciando, até que ela se despediu de mim e disse:
- eu adorei dar essa aula pra voce guisinho, voce é um ÓTIMO aluno, mais eu axo que voce ainda precisa estudar muito e vai precisar de de muitas aulas minhas, e deu um sorrinho seguido de uma piscada.

Marcadores: , , , ,

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Transei com ex namorado da minha melhor amiga

Bom primeiro vou me descrever, tenho 15 anos,1,73 e 62kg, pele clara, peitos pequenos, bumbum redondinho e naum muito grande, xaninha sem pelos, cabelos castanhos dourados e lisos, olhos azuis,cara de menina. Bom minha vida mudou bastante depois do ocorrido que vou contar pra vcs.Na epoca ja naum era virgem e tinha um namorado, era um namorado carinhoso, fazia sexo bem tradicional,era um namoro tb tradicional, namoravamos a 2 anos, perdi minha virgindade aos 14 anos,meu pai tinha um amigo, se chama Gilmar, tem 1,80(aproximados), e sarado,pele negra, olhos pretos e cabelos pretos, era muito bonito, eu tenho paixao por negros, a seu membro tem 21cm e tem 31 anos.
Meus pais sao daqueles tipos de transar so depois de casar, e essa regra eu ja havia violado faz tempo, e um dia desses em um vacilo nosso o gilmar escutou uma conversa minha com meu namorado em que nos combinavamos da ficar sozinhos na casa dele para transar, mas naum percebemos.Depois que meu namorado foi embora eu estava vendo ele virar a esquina escorada no muro, quando um braço me envolve, e a voz grossa de gilmar invade meus ouvidos, hum entao a cabritinha ja ta liberando? seu pai ja sabe? eu tentei fingir de boba, mas ai ele falou que havia escutado nossa conversa, naum conta pro meu pai por favor, ele ja precionou no meu bumbum, huum por enquanto eu naum vou contar, mas fica esperta, lambeu meu pescoço, nisso meu corpo todo tremeu, e senti um calor dentro da minha calcinha com aquele homem me agarrando com força, coisa que nunca havia ocorrido. Depois disso minha transa com meu namorado foi horrivel(pra min ne, pois ele adorou) so pensava no gilmar, pensava em quando ele ia voltar, se ele ia contar para meus pais, e esse dia chegou gilmar voltou em minha casa e me comprimentou normalmente,e quando meus pais estavam la na pscina ele veio pra dentro da casa e me puxou para o corredor me encostando na parede. E ai cabritinha como foi a foda com seu boyzinho?Aposto que ele naum sabe te fuder direitinho né?bem gostosinho como o titio gil sabe, nisso ele desceu a mao na minha perna e veio subindo com os dedos minha saia(a maioria das vezes uso saia colegial até o meio da coxa) e chupando meu pescoço, depois mordendo meus labios, eu tremia, mas estava adorando mas naum queria que ele soubesse,aquilo tava me dando um tesao. Dai ele subiu mais minha saia até ver minha calcinha, deu gargalhadas silenciosas ao ver minha calcinha pois era de desenho animado... hahahahha calcinha de menininha isso so me dais mais vontade de te fuder.Eu abaixo a saia, para gil. Para o que cabritinha, bem que vc poderia ser cabaçinho hein? queria ser o primeiro a envadir essa sua florzinha, seu namoradinho ja comeu seu cuzinho, nisso ele desceu a mao pelas minhas costa e passou o dedo no meu rego por cima da calcinha, hein cabritinha, responde...eu respondi tremula... naum nunca... huuum deve ser uma delicia seu cuzinho, pq sua bundinha é uma delicia te filmava fazia tempo, essa coisa redondinha e meio rosada, sua pele como de nenem, e esses peitinhos, do tamanho de uma laranja, cabe na minha boca direitinho, da pra mamar como um bezerro....e quanto mais ele falava essas coisas mais minha xaninha suava, depois agente conversa mais, ele me deu um beijo sua lingua invadiu minha boca eu fui amolecendo, ele foi deslizando as maos por minhas pernas e bumbum, e me solto, eu quase desmontei no chao, ele foi embora, fui pra minha cama e fiquei la até adormecer.Depois de uma manhã de estudos no colegio e vou em direçao ao ponto de onibus,quando vem um carro em minha direçao e gil estava dentro dele, entra ai cabritinha! eu ainda fiquei meio confusa, até que ele chamou de novo e entrei, ele ja me olhou dos pes a cabeça....ta sem a sua saia de putinha pq?....o colegio so pode calça...eu nem respondia as agressoes pois no fundo estava gostando de ser xingada(naum pense mal de min), ele andou com carro umas 2 horas até chegar em uma estrada de terra, parou na estrada de terra, vixi, desçe ai que o carro estragou....eu ja tava meio desconfiada, mas desçi, me escorrei no capo, quando ele veio e me empurrou, me fez ficar tipo enclinada com os peitos no capo e as pernas no chao, fazendo ficar arrebitada pra ele, ele abaixou minha calça, de novo essas calcinhas, vc usa isso so pra ficar mais gostosinha, abaixou a calcinha, hum sua florzinha tá bem molhada será pq hein? sua safada? e me deu um tapa no bumbum, ele abriu o fecho da calça dele, abriu meu bumbum, huum olha que rodelinha rosada gente, mas naum vou ser tao mal, naum vou te arrombar a seco, sua florzinha é raspada hein sua safada, nisso ele enfiou o dedo nela de uma vez, eu soltei um gemido e me controçi sobre o capo, ele ficou socando o dedo, eu ia gemendo, estava adorando, agora vai sentir o tio gil dentro de vc, ele colocou uma camisinha, a unica coisa que senti foi quando ele pos a cabeça depois eu vi estrela, ele socou, eu acho que até perdi meu cabaço de novo de tanta dor, segurava nos meu ombros, tirava tudo e socava de novo, eu gemia e eme contorcia de dor e tesao, depois de ficar fazendo isso bem devagar tirando tudo e socando de um vez, ele começou fazer rapido como se fosse um cachorro possuindo sua cadela, eu nunca tinha sentindo tanto tesao na minha vida e nem tanta dor, mas a dor foi diminuindo e o tesao aumentando, ele ia mais rapido e aumento mais quando eu soltei \"sem querer\", me fode gil, ai o homem que ja era um animal ficou mais selvagem, me fodia tao rapido que meus pes começaram a sair do chao e eu a subri mais no capo....ele urrava e me xingava, sua cabrita safada, essa sua xana é a coisa mais gostosa do mundo, vc é minha cabritinha entendeu...ai eu naum respondi...ele parou de meter...eu olhei pra tras com uma cara de pedinte.... e ele me perguntou mais uma vez....vc é minha cabritinha ou naum? eu louca de tesao disse....sim sou sua.....ele socou de novo rapidamente, logo eu tive o orgasmo mais intenso de minha vida, desceu pelo seu pau e pela minhas pernas de tao intenso que foi, ele continuo socando, até que parou e falou agora vem ca, tirou a camisinha, abri a boca pra tomar leite cabritinha, eu abri pensando que ele so ia gozar, quando ele socou me fazendo quando engasgar, e começou a fuder minha boca até gozar, foram 5 jatos intensos na minha boca, os primeiro engoli no susto e os outros foram com ele ordenando. eu ia pegar um lenço pra limpar minhas pernas ele subiu minha calça... naum naum vai melanda e cheirando a sexo, pra até cachorro querer te comer. Me levou em casa quando estava saindo ele me deu um tapinha... vou cumer essa rodelinha ainda hein... pode preparar. Cheguei e tomei um banho.. e assim eu nasci a cabritinha. Vira mais transas da cabritinha.

Marcadores: , , , , , , , ,

sábado, 29 de janeiro de 2011

Contos eróticos Cu de mulher de bêbado não tem dono

Tenho mais de 30 anos, altura média e peso médio também...
Sou casado com uma magrelinha gostosíssima que me satisfaz plenamente, mas o que vou contar é o verdadeiro início da minha vida sexual.
Tinha 16 anos, já era um rapaz formado, tinha mais ou menos o mesmo corpo que tenho hoje, e, como minha família estava numa fase muito difícil de dinheiro, por decorrência disso tive que trabalhar com um tio, irmão da minha mãe, proprietário de uma fabriqueta, num bairro distante de onde eu morava, eu morava próximo do Jaguaré e tive que trabalhar em São Mateus, tive que sair da zona oeste de São Paulo pra passar a viver no extremo leste...
E como seria trabalhoso pra mim, durante o período escolar tinha que morar na casa deles mesmo...
De início até achei o serviço legalzinho e ainda dava pra faturar uma grana, pessoal da fábrica era muito legal, só que várias vezes por semana eles se juntavam pra beber e, liderados pelo meu tio, bebiam até altas horas, de vez em quando eu voltava da escola e ele ainda não havia chegado, depois, quando chegava, geralmente o casal ia dar uma trepadinha e eu sempre ouvia, aquilo mexia bastante comigo e minha tia era uma mulher bem interessante, magrinha, baixinha, bundudinha e com um rosto bem bonito e acabou virando minha inspiração pra minhas punhetas, só conseguia descarregar meu tesão com as trepadas semanais furrecas que dava com uma namoradinha que tinha perto da minha casa no Jaguaré!!!!
Numa época de férias escolares, deixei o pessoal tomando as cachaças habituais e fui pra casa.
Tomei meu banho, coloquei meu short e fui assistir TV junto com minha tia...
Aquele dia a tia tava muito gostosa, já não conseguia disfarçar minha cara de tarado quando a via, ela tava com uma camiseta branca, sem sutiã, shortinho branco apertadinho, com uma marca de tanguinha bem minúscula... E estava particularmente interrogativa naquele dia, queria saber se eu tinha arrumado uma namorada por ali, como eu fazia pra ?me virar?, etc.
Respondi monossilabicamente e timidamente de cabeça baixa a todas as perguntas, eu era um cara bastante tímido mesmo e a possibilidade de trair minha namoradinha do Jaguaré era improvável...
Quando ela me disse:
­        Mas que menino bobinho... Fidelidade é besteira.
Tomei um susto, levantei os olhos e tomei outro susto...
Ela estava sentava no sofá, com as pernas dobradas e com os braços em volta das pernas... O short ficava dividindo a bucetinha em duas!
Aquela visão mais me excitou que assustou e, ainda não acreditando, disse:
­        O tio não ia gostar de ouvir isso sobre fidelidade não...
Ela retrucou:
­        Você acha que é fácil aguentar aquele bafo de cachaça todo dia? Sinto que tô perdendo tempo... Você não me acha bonita?
De imediato respondi:
­        Claro que acho...
Então ela trouxe o sofá mais pra perto de mim, ficou quase à minha frente fechando a visão da TV e sentou-se na mesma posição que estava... E continuou com suas perguntas... Nem lembro direito o que ela falava, não enxergava mais nada que não fosse aquela rachinha na minha cara...
Não resisti e dirigi minha mão pro meio das pernas dela, ela não titubeou e me beijou a boca, agarrou meu pau, massageava, mordia meus lábios e ia tirando meu short devagarinho...
Me refiz do susto em que me encontrava e passei a boliná-la também, tirei-lhe a camiseta e mamei naqueles peitinhos, dei mordidas na barriguinha, arranquei o short, que teimava em descer junto com a tanguinha, mas consegui tirar somente o shortinho, afastei-a um pouco, peguei-a pela mão, a fiz girar devagarinho e a vi só com aquela tanguinha branca minúscula, o que só fazia realçar toda aquela gostosura...
Comecei a lambê-la todinha, dos peitos até a virilha, cheirei a bucetinha por cima da tanguinha, virei-a de costas e lambi toda aquela bundinha linda, afastei a calcinha de lado e babei toda a bunda da mulher, dei várias linguadas na buceta e quando me preparava pra enfiar o pau naquela bucetinha ela me pediu pra esperar...
Deitou-me de costas na cama e começou a me lamber boca, os lábios, parou bastante no meu peito, lambia e mordiscava cada um dos meus bicos, e desceu até o pau....
Que boquete!!!! A mulher engolia o pau quase inteiro, lambia as bolas, colocava-as na boca e ficava me punhetando...
Já não tava quase aguentando mais, quando pedi para fodê-la...
Ela deitou-se, eu encaixei meu pau na entrada da boceta, empurrei devagar e comecei a entrar e sair, tentei colocar um dedo no seu cuzinho, mas ela não deixou, aquilo seria algo completamente novo pra mim, nunca tivera esses desejos com minha namoradinha, sussurrei-lhe no ouvindo pedindo pra deixar, mas não adiantou, então comecei a estocar com mais força e, não sei se por causa das punhetas, fiquei naquilo um tempão, mudamos de posição mais duas vezes, quando ela ficou de costas pra mim e depois de quatro, que foi quando consegui gozar...
Conversamos bastante depois e ela me disse que já havia notado meus olhares e disse que ficava o tempo todo me seduzindo e que tinha muitas dúvidas se conseguiria trair o marido comigo, mas que conseguiu e que gostara...
À noite, depois da chegada do meu tio, eu já ouvia seu ronco do meu quarto, quando a porta abriu e minha tiazinha gostosa apareceu só de tanguinha, dessa vez azul clarinha, deitou-se ao meu lado, nos tratamos como namorados, dessa vez fui bem mais lento e pus a língua no seu cuzinho, ela só gemia...
Quando fomos trepar, depois de muito dizer que não a machucaria, finalmente conseguir enfiar na bucetinha dela com o dedo todo no seu cuzinho, quando, ela de quatro, eu tentei trocar de buraco, ela não deixou, me fiz de ofendido e, apesar de todo o tesão que a situação me dava, não recoloquei o pau em lugar nenhum e disse pra ela que eu era bem experiente em anal (Mentira!!! Nunca fizera!!!), que não a machucaria, que só achava que uma relação era completa se tivesse anal, mas mesmo assim ela não deixou...
Na sexta feira, eu iria no dia seguinte à minha casa e veria minha namorada, naquele dia a porta do quartinho se abriu de novo, refizemos quase todo o nosso ritual de trepadas, só que, dessa vez quando ela ficou de quatro, ela me entregou uma embalagem de óleo de bebê, direcionou meu pau pro cuzinho e só disse um:
­        Vai devagar.. Se me machucar, tira...
Comecei a meter a língua naquele cuzinho, lambuzei meu pau com aquele óleo, encostei o pau na entrada, mas ela reclamou que doía...
Então mudou de posição, pôs um travesseiro embaixo da barriga, arrebitou bem a bundinha me convidando pra penetração, lambuzei o pau de novo e encostei na entradinha, meu pau estava duro como nunca, dei um empurrão e a cabeça entrou, fiz questão de dar uma olhadinha e empurrei mais, ela gemeu alguma coisa, perguntei se podia continuar e ela autorizou, então empurrei o resto, olhei de novo e tava com o pau inteiramente dentro do cu dela, só aquilo já me deu um tesão desgraçado.
Então comecei as enfiadinhas e tiradinhas curtas, depois mais profundas, até começar a bater com força a virilha na bunda dela, meu pau doía um pouco, mas o cu já tava mais receptivo, fiquei alternando esses movimentos uns vinte minutos, às vezes rápido, às vezes devagar, às vezes tirava quase tudo, às vezes colocava tudo, até que não me aguentei e quase gritando, e correndo o risco de acordar meu tio, gozei tudo o que podia dentro daquele cu....
Isso não me saiu da memória nunca mais, o ar de felicidade que a mulher, completamente suada, mostrava me deixou maravilhado...
Naquela madrugada mesmo, nem sei quantas vezes ainda comi o cu dela, só lembro que gozei mais uma vez no fundinho dele...
Algum tempo depois fiz anal com minha namorada, mas não conseguia deixar de pensar na minha tia, com quem eu fiz muito mais gostoso e muitas outras vezes mais.
Acho que acabei dando bandeira, pois sempre que terminava o expediente, eu já não ficava um minuto a mais sequer com o pessoal da fábrica e ia sempre, pelo menos, namorar com minha amada tia, como consequência disso, penso, meu tio uma vez chegou em casa mais cedo e me pegou encoxando a mulher dele, a reação dele foi reclamar, só que a mulher o levou para conversar reservadamente e, não sei o que ela fez, que meu tio não reclamou tanto mais, só me mandou de volta pra casa...
Não via mais a minha tia com frequência e consegui dar uma trepada com ela só mais uma vez, só que na minha casa mesmo.
Tempos atrás, descobri que minha tia andava dando pra toda a molecada da vizinhança, a pivetada de lá nem imagina o quanto tem que me agradecer!!!!

Marcadores: , , , ,

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Ninfeta gostosa perdendo a virgindade com Professor

Olá, meu nome é Mirelle, tenho 16 aninhos. Sou morena, cabelos lisos e compridos, 1,64, olhos verdes, sou magra, porém tenho um corpo muito sarado pois malho desde novinha, então tenho pernas bem torneadas, bunda empinada, cinturinha fina e seios médios bem firmes. A história que vou contar pra vcs aconteceu a uma semana, eu sempre tive atração por um professor da minha escola, que fica em BH onde moro, esse professor sempre sempre mexeu muito com minha imaginação, por ser muito gostoso, rosto perfeito, olhos verdes e um corpo de deixar qualquer uma maluca. Havia acabado as aulas e eu estava arrumando minhas coisas para ir embora, como a últimas aula era dela, resolvir arrumar tudo bem devagar para poder ficar sozinha com ele, e foi o que aconteceu. Comecei a olha-lo de uma maneira provocante me insinuando para ele, até que resolvi ser mais ousada pergutando se ele tinha namorada, a resposta foi um sim já esperado, não perdir tempo e disse que ela deveria aproveitar muito pois um homem daquele não era pra qualquer uma, pra minha surpresa ele disse que ela não aproveitava muito e perguntou se eu queria fazer o que ela não fazia, nem tive tempo de responder pois ele foi logo me dando um beijo.
Começamos a nos beijar ali mesmo, estava uma delícia nossas linguas faziam movimentos perfeitos, suas mãos percorriam todo o meu corpo que já começava a dar sinais de excitação, coloquei minha não na sua calça e sentir aquele volume aumentando a cada segundo, foi quando ele arrancou minha blusa de vez e caiu de boca nos meus seios, ele chupava como um nenem faminto, mordiscava os bicos deixando-os duros e avermelhados, enquanto isso ia tirando minha calça e minha calcinha totalmente úmida. Quando me dei conta já estava totalmente nua, enquanto aquele homem maravilhoso beijava todo meu corpo, chupava meus seios, ia descendo até minha barriguinha, mordiscava meu umbigo, até que chegou na minha xoxotinha toda molhadinha e caiu de boca me fazendo gemer de tanto prazer, sua lingua fazia movimento deliciosos no meu clítoris enquanto seus dedos se alternavam em meus orifícios não aguentei e gozei na boca do meu professorzinho querido e tão desejado. Estava totalmente envolvida e quis retribuir o prazer que ele estava me dando, então ajoelhei na sua frente abaixei suas calças e comecei uma chupeta, comecei na cabecinha, passando o dente devegar, depois fui chupando toda, lambendo as bolas e ele gemia como um touro, puxava meus cabelos e me chamava de "minha putinha gostosa", comecei a sentir seu mastro pulsar e logo sentir jatos de porra na minha boca, achei o cheiro estranho mas engolir o máximo que pude, afinal era o líquido precioso do macho que eu tanto desejava. Percebi o quanto ele era viril, pois depois do boquete beijei um pouco seu peitoral e sua jeba já estava dura novamente, então ele me pegou pelo braço e me jogou na mesa, abriu minhas pernas e encaixou-se sobre mim, fiquei assustada pois eu ainda era virgem e aquela jeba tinha aproximadamente 20x5, mas o tesão era tanto que relaxei, ele foi bricando com a cabecinha na entrada da minha grutinha, depois colocou de vez, dei um grito de dor e tesão, ele fazia movientos mágicos, dançava dentro de mim, tinha uma energia fora do comum, comecei a acompanhar seu rítimo mexendo-me feito uma louca e gemendo como uma cadela no cio, enquando me comia ele apertava meus seios, beijava minha boca ou me chamava de nomes como "putinha gostosa, ninfeta safada" aquilo me deixava louca e me fazia dizer absurdos como "me fode toda seu gostoso, mostra toda sua física pra sua aluna mais aplicada", como ele é prof. de física dava pra falar umas sacanagens como "mostras seus movimentos progressivos ou aplica toda sua força peso" depois de muitos movimentos explodimos num gozo alucinante gemendo como dois animais. Nos beijamos e ele começou a apertar minha bundinha, prontamente entendi o que ele queria, e fiquei de bruço apoiada na mesa, ele começou a acariciar meu buraquinho mais apertadinho com a língua e introduzir os dedos nele, posicionou aquela jeba na entradinha lubrificou um pouco com o líquido que escorrida da minha xoxotinha, deu aquela velha cuspidinha e mandou ferro, dei um grito abafado por sua mão, as lágrimas rolavam no meu rosto, a dor era imensa, mas eu queria ir até o fim pois queria me entregar de vez aquele homem, ele bombava devagar para não me machucar tanto, mas a dor logo foi se tranformando em prazer, então eu olhei pra tráz dei um sorrisinho e comecei a rebolar, ele ficou louco com aquilo e começou a me castigar com movimentos rudes, enquanto enfiava 4 dedos na minha xoxotinha, dava tapas forter em minha bunda e mordia meu percoço ou me xingava, gemir com uma puta, comecei a sentir jatos invadirem meu buraquinho, finalmente ele havia gozado, quando tirou o mastro sentir um vazio dentro de mim, passei os dedo e percebir que meu cuzinho estava um estrago. Fiz uma última chupeta nele, nos vestimos e fomos embora.
Espero repetir outras fodas com ele para continuas escrevendo por aqui. Beijos

Marcadores: , , , ,

Minha amiga chupando minha buceta na fazenda

O que contarei a seguir foi uma história muito excitante e que eu tenho certeza excitará muito vocês. Eu tenho vinte e dois anos, sou morena, 1,74m, olhos verdes, bunda durinha e seios médios. O que eu contarei se passou quando eu tinha dezoito anos.
Minha tia tem uma fazenda em Piracicaba e eu e uma amiga minha fomos passar um fim de semana lá, sozinhas, apenas com os caseiros! O primeiro dia lá foi muito chato, não fizemos nada, apenas vimos televisão.
No segundo dia, fomos mato a dentro explorar a fazenda. Minha amiga Carla era muito gostosa, tinha 1,65m, olhos azuis, morena. Admito que sempre tive fantasias por mulheres, apesar de ser bem casada. Saímos para passear no mato. Eu estava com uma calça branca colada que apareciam minha calcinha rosa de rendinha que estavam enterradas na minha bundinha e uma blusinha colada que exibiam meus belos seios. Carla estava com uma saia branca transparente que exibiam sua calcinha preta enterradinhas na bunda, o que me deixava mais louquinha ainda. Usava uma blusinha branca e estava sem sutiã. Fomos lá, comemos laranjas, corremos, até que uma hora cansamos e sentamos para descansar na grama. Carla se sentou na minha frente e abriu as pernas. Quando vi seu buraco tapado apenas por uma finíssima calcinha enlouqueci. Percebi que Carla também olhava fixamente para o meio das minhas pernas, querendo saber se podia perceber a calcinha pela cor da minha calça.
De súbito, o papo começou a esquentar e perguntei a ela se era virgem, essas coisas... Uma hora disse que estava com calor e tirei a blusa, meus seios estavam quase saltando do sutiã de tanto tesão. Carla ficou paralisada até que peguei sua mão e toquei em meu seio. Ela deu um gemido e começou a acariciá-lo, apertar os biquinhos. Eu soltava gemidos muito altos, minha calcinha já estava encharcada. Tirei o sutiã e abri o zíper da minha calça, mostrando minha calcinha rosa molhada. Carla passou a mão por cima dela e eu gemi. Avancei sobre ela e tirei-lhe a blusa, vendo uns peitos lindos, maravilhosos, e não demorei muito para chupá-los. Ela ficou de quatro na minha frente dizendo que iria pegar uma coisa que vira. Vi toda sua bunda tapada apenas por uma calcinha minúscula, molhada. Ergui sua saia, massageei sua bunda, e ela soltou um gemido forte! Tirei sua calcinha e ela abriu as pernas. Chupei aquela boceta com de poucos pêlos molhada, e a fiz gozar na minha boca!
Relaxei e abri as pernas, e esperei minha gata. Ela veio e tirou minha calça, fiquei apenas de calcinha. Ela me agarrou começou a chupar todo meu corpo e tirou minha calcinha com a boca, gozei feito louca quando ela abriu minha bocetinha e chupou meu clitóris. Após isso nos vestimos e fomos para o quarto dormir. Estávamos com um pouco de ressentimento por tudo que aconteceu, coloquei apenas uma calcinha vermelha enterrada na bunda sem sutiã para dormir e a Carla colocou apenas uma camisolinha que deixava aparecer sua calcinha branca de rendinha. Ela se deitou e não falamos nada. Como estava com muito tesão, cheguei na sua cama e ergui sua camisola. A calcinha estava cravada na bunda, tirei-a e coloquei três dedos no cuzinho dela. Ela gemeu de tesão e arrancou minha calcinha vermelhinha encharcada e me chupou inteirinha...
Desde esse dia uma vez por mês vamos na fazenda da minha tia. Mesmo casadas nos encontramos, cada vez Carla esta mais gostosa e mais molhadinha.

Marcadores: , , ,